terça-feira, 24 de junho de 2008

Fármaco experimental laquinimod reduz lesões na esclerose múltipla


O fármaco experimental oral laquinimod, da Teva Pharmaceutical Industries, apresentou resultados positivos num estudo de Fase II para o tratamento da esclerose múltipla.

Segundo os resultados do estudo, o fármaco demonstrou reduzir o número de lesões no cérebro em pacientes com esclerose múltipla recorrente remissiva, em comparação com placebo. Assim, o laquinimod parece atrasar a doença e ser bem tolerado pelos pacientes.

Os resultados foram publicados na "The Lancet".

Após 36 semanas do estudo com 306 pessoas, os pacientes com esclerose múltipla recorrente remissiva que tinham sofrido uma ou mais recaídas no ano anterior receberam aleatoriamente uma de duas doses de laquinimod ou placebo. Aqueles que receberam a dose mais elevada do fármaco atingiram uma redução de 40,4 por cento nas lesões cerebrais, em comparação com os que receberam placebo. O tratamento com a dose mais baixa não demonstrou resultados significativos em comparação com o placebo.

Quando os investigadores expandiram o estudo por mais 12 semanas, os pacientes demonstraram uma redução média de 60 por cento no número de lesões no cérebro.

5 comentários:

nns disse...

pelo q consegui investigar, existem 4 fases de estudos até que 1 medicamento possa ser lançado. A 1ª fase testa-se em pessoas saudáveis; a 2ª num grupo de doentes restrito, a 3ª num grupo de doentes muito maior (que inclui vários países, idades, "tipo de doenças" (ou seja, a forma como a doença se manifesta no doente), etc, etc... Sendo esta 3ª fase a mais longa que pode chegar a mais de 3 anos por toda a logística encolvida....
A 4ª fase é basicamente comercial (estudos de mercado, marketing...). Não querendo tirar as esperanças a ninguém , (pois eu também fique bastente feliz pela possíbilidade de não ter de me picar mais...) ainda temos uns anos de espera!

Inoca disse...

Sim, é verdade que ainda temos de esperar mais uns aninhos, mas de qualquer maneira é sempre bom sabermos que os estudos não estão parados! A esperança é sempra a última a morrer!
Já lá vão quase 6 anos que fui diagnosticada e lembro-me que nesse espaço de tempo têm sido inúmeras as notícias sobre os estudos realizados sobre EM, o que muito me agrada.
Também eu espero que sejam rápidos nas descobertas.
É como disse... a esperança é a última a morrer. Até lá, vamos vivendo um dia de cada vez, não é mesmo?

loisa disse...

olá NNS e INOCA!
É tudo verdade o q dizem. Relembro só que é fácil perdermos a noção da velocidade astronómica a q os medicamentos estão a chegar até nós, antigamente era bem pior! Somos uma geração mt sortuda, apesar do galo de termos EM! :P

Outra coisa importante é q já existe outro fármaco em comprimidos na calha que, se tudo correr bem nos ensaios, no início de 2009 vai estar no final da 3ª fase e pode ser aprovado em finais desse ano. Portanto, teremos o chamado Fingolimod em meados de 2010. É um comprimido por dia, com resultados muito bons: no final dos 3 anos do estudo verificou-se que 70% das pessoas ficaram sem surtos (a média de surtos por ano das pessoas no ensaio foi de 0,02%), 89% delas não apresentaram sinais de inflamação nas ressonâncias ao cérebro efectuados ao fim dos 3 anos. O que eles estão a fazer, além de testar a eficácia e a dosagem, é verificar a segurança do Fingolimod. Os efeitos secundários mais comuns são: constipações, dores de cabeça e fadiga, e o menos comum é o cancro de pele - melanoma). Toda a informação está neste artigo.

Ainda relativamente ao que disse o NNS sobre as fases dos medicamentos, é frequente nos q têm o processo de aprovação rápida (o Tysabri foi um desses casos), eles serem colocados cá fora no final da 3ª fase, desde q passem na "inspecção" :) Ou seja, a 4ª fase decorre qd o medicamento já está no mercado e acessível à generalidade das pessoas, q têm a opção de se manter ou integrar num estudo a decorrer.

O lençol vai longo para tentar explicar tudo! É bom saber que continuamos todos interessados no que há de novo para nós, e manter a esperança como diz a Inoca!!! E não se esqueçam dos pequenos grandes milagres do dia-a-dia ;)

Beijinhos e mts sorrisos. Luísa

loisa disse...

enganei-me: onde escrevi "0,02%" é "0.2%"

Anónimo disse...

Acho que sim,está tudo a correr bem,como diz a Loisa,somos uma geração sortuda,mas se calhar também procuramos mais a sorte,acho eu.
Noticias felizes para todos.
O Resistente.